Equipa do Presidente vence a 1ª Ryder Cup dos Engenheiros

Ingenium Ryder Cup veio para ficar

Num domingo solarengo no campo dos Salgados, no Algarve, os engenheiros inauguraram a Ingenium Ryder Cup. Numa competição que emula as emoções da histórica Ryder Cup, o Presidente Miguel Campos e o Capitão Luis Antunes seleccionaram alternadamente as equipas com que iam alinhar na disputa da primeira edição. À saída do draw ficou claro para todos que havia duas garantias: todas as formações iriam em saudável e animada competição e o resultado seria sempre renhido. As suspeitas confirmaram-se.

Os Salgados vestiram-se de gala para receber o Clube. Greens imaculados, fairways bem torneados e pin positions desafiantes. A meteorologia amplificava o desafio: o sol brilhava mas o vento parecia querer empurrar as bolas para a abundante água do campo. Os engenheiros corresponderam à magnitude da ocasião e produziram match atrás de match para ficar na memória. Cada jogador abriu com 9 buracos de matchplay individual tentando contribuir com 1 ponto para a sua equipa. De seguida, várias duplas disputaram os seus matches de pares de 9 buracos na modalidade foursomes e as restantes na modalidade fourball betterball.

Os primeiros jogadores iam chegando ao clubhouse, onde o Presidente e Capitão perguntavam ansiosamente por cada resultado. A contagem parecia uma sinusóide perfeitamente traçada, fazendo lembrar os bancos da faculdade. Até que chegou o momento de pausar a contagem individual sob pena de as unhas dos presentes não resistirem às flutuações do resultado. A solução foi partir para o almoço, mais uma vez fonte de grande convívio entre todos os participantes e alguns familiares. Em maior segredo, Presidente e Capitão lá iam lançando contas à vida e percebendo que tudo podia depender da última formação. E assim foi. Tudo empatado até ao último match. Os olhares ansiosos, as vozes trémulas e a respiração ofegante detinham-se nos últimos quatro jogadores a chegar. Só aí, pela margem mínima de 18,5-17,5 foi declarado que a sorte e o mérito bafejaram a equipa do Presidente na primeira edição da prova.

O resultado é uma taça a decorar com prestígio a casa do Presidente durante um ano e os membros da equipa vencedora a ostentarem um emblema da edição a partir de agora no polo do Clube. Para o futuro fica a certeza de que este ano foi apenas o início de mais uma bonita tradição do Clube de Golfe dos Engenheiros.

Deixe uma resposta